3 contos infantis que você deveria ler mesmo adulto - imagem destacada

3 Contos infantis que você deveria ler mesmo já sendo adulto

Todos sabemos que contos infantis nem sempre são exatamente infantis e imaturos. Apesar de apresentarem personagens ainda crianças, muitas vezes eles são mais sábios e astutos do que nós, adultos! E têm muitas coisas para nos ensinar 🙂 .

Recentemente, tirei um tempo para ler alguns contos infantis muito famosos. Hoje, no dia da infância, eu apresento 3 deles que você deveria ler mesmo se já passou da idade. (Acho que estou te chamando de velho!)

Além de serem uma ótima forma de entreter crianças a noite (pelo menos para mim era!), os contos infantis sempre trazem uma ‘moral da história’ não só para o filho, mas também para os pais. E melhor: quando lemos contos infantis após mais velho, levamos muito mais experiências e ensinamentos do que quando somos criança. Já pensou nisso?

Acontece que nós absorvermos com muito mais facilidade alguns detalhes da narrativa. Nós percebemos como a troca de uma palavra por outra não é à toa, ou o real significado daquela resposta atravessada… Entre outras coisas, são tantas delicadezas que, quando somos novos, elas não fazem sentido nenhum.

As narrativas diferenciadas e as leves brincadeiras entre um parágrafo e outro é que me encantam nos contos infantis. E talvez encantem você também <3

1. O Pequeno Príncipe

Capa do livro O Pequeno Príncipe

Com certeza o conto infantil mais lido de todos! Se você ainda não leu, procure no sebo qualquer edição que você possa colocar suas mãos. . A leitura é muita rápida e fácil, e em menos de 1 hora você também vai poder entender todas as citações que existem por aí na internet. (eu, inclusive, tenho uma blusa muito bonitinha).

Além da percepção sobre a diferença da visão de um adulto e uma criança (e que também podemos sempre ser, mesmo que um pouco, crianças por dentro), O Pequeno Príncipe ensina delicadamente sobre o que é cativar e porque devemos cuidar do que amamos.

Também ensina sobre as insignificâncias da vida adulta, da falta da nossa visão. Desistimos tão fácil de nossos sonhos! Mas continuamos fazendo as mesmas coisas sem objetivo e sem pensar no que realmente é a nossa vontade.

É um livro muito curto, mas muito meigo e curioso. Faz qualquer um pensar, nem que for um pouquinho, sobre a sua vida.

“As pessoas grandes não compreendem nada sozinhas, e é cansativo, para as crianças, estar toda hora explicando.”

2. Alice no País das Maravilhas

Ilustração do livro Alice no País das Maravilhas

Apesar de ter algumas lições de moral também para adultos, o mais divertido desse livro é o jogo de palavras e as respostas ácidas de Alice. Ela é apenas demais!

Bom, o início da narrativa todo mundo conhece. Alice é uma menina curiosa que, ao tentar correr atrás de um coelho atrasado, cai em um misterioso buraco sem fim. E o mais impressionante disso tudo é que ela se acostuma rapidinho com todas as esquisitices do País das Maravilhas. Todas as suas aventuras são super estranhas e fantásticas, e cada fala é uma brincadeira diferente.

Esse livro por si só é completamente bizarro e, por favor, não tente achar um significado para tudo que está em sua narrativa. Afinal, Alice é capaz de falar com lagartas, gatos que riem e cartas que cortam as cabeças uma das outras. Só curta a história, e tire suas próprias conclusões no fim do livro.

Eu gosto muito de Alice no País das Maravilhas justamente por toda essa ironia e eventos que não fazem sentido. Para mim, a história é sobre uma menina que está transitando entre uma fase e outra da vida, e precisa lidar sozinha com todas essas diversidades de alguma maneira. A coisa toda parece ser maluca porque, além de ser um sonho da personagem, a forma como cada um lida com mudanças é diferente.

Se você quiser mais detalhes, confira no post Porque você deveria ler Alice no País das Maravilhas, aqui do blog!

“- Talvez não exista moral alguma – Alice ousou em observar.
– Ora, criança, tudo tem uma moral, é só a gente descobrir – afirmou a Duquesa.”

3. Peter Pan

Capa do livro Peter Pan

Esse livro só está aqui porque os personagens principais são bem diferentes do que imaginamos. Na verdade, Peter Pan é um garoto bastante descontrolado, mimado e maldoso, aprisionando crianças em seu mundo e as impedindo de crescer. Ele acredita que se ele não cresce, ninguém deveria, e que ser adulto é a pior coisa que pode acontecer à alguém. Estaria ele certo?

Já Wendy, a irmã mais velha, é uma verdadeira mãe para os meninos da floresta e para Peter. Apesar de ainda ser criança, Wendy percebe a falta desse papel, e logo acaba assumindo as mesmas atitudes de sua própria mãe.

Ah! Ponto importante para ressaltar: matar é uma coisa bem comum na história. Não se assuste! A narrativa também é bem engraçadinha e diferente do que temos hoje em dia, com comentários divertidos ou fora de contexto.

O livro, apesar de partes violentas, fala muito do que realmente o espírito infantil é: imaginativo, aventureiro, alegre e, às vezes, um tantinho maldoso e mal-criado. Apesar de nós não querermos crescer, essa época da vida é passageira. Nós devemos tanto aproveitá-la como saber que um dia todos seremos adultos.

Mas não se preocupe, Peter Pan será sempre criança, e estará por aí para distribuir seu pó de fada.

“Só quem é alegre, inocente e desalmado consegue voar.”

 

 

Conhece outros livros infantis que também valem a pena ler? Compartilha! Adoraria adicionar mais contos a essa lista e espalhar o amor por livros por aí <3