A Garota no Trem - Imagem destaque do livro

A Garota no Trem de Paula Hawkins

Rachel está longe de ser a sua personagem linda, maravilhosa e perfeita. Na verdade, ela é alcoólatra, desempregada, sozinha e praticamente no fundo do poço. De certa maneira, esse é o resumo do que você vai sentir ao ler as primeiras páginas do livro A Garota no Trem… E se logo de cara você pensar em desistir, eu não vou te culpar, eu mesma quase não passei da página 10. Mas, eu indico você a finalizá-lo, pois é um livro que te faz pensar até o seu fim.

A Garota no Trem é a obra de estréia de Paula Hawkins e foi um grande sucesso. O livro foi publicado no exterior e aqui no Brasil em 2015 com uma diferença de 5 meses e ficou em primeiro lugar em todos os países em que foi lançado logo no primeiro ano.

Ainda mais impressionante, a adaptação ao cinema foi lançada já em outubro de 2016, estrelado pela atriz Emily Blunt como personagem principal. Confesso que eu não sabia desse livro até mês passado.



Título
: A Garota no Trem
Autor: Paula Hawkins
Páginas: 378
Editora: Record
Lançamento: jun/2015

SinopseTodas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio por galpões, caixas d’água, pontes, casebres e aconchegantes casas vitorianas.

Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.

Uma narrativa extremamente inteligente e repleta de reviravoltas, “A garota no trem” é um thriller digno de Hitchcock a ser compulsivamente devorado.


A história possui 3 narradoras: Rachel, Megan e Anna. Todas elas vivem em suas rotinas e problemas, mas de alguma forma suas vidas estão entrelaçadas. Rachel, da janela do trem, observa e imagina a vida perfeita de um casal que vive a beira dos trilhos. Megan, a observada, vive uma vida pacata, e tenta mudá-la trabalhando como babá na casa de Tom e sua esposa. Já Anna, a mãe do bebê, vive com sua família que considera perfeita, mas precisa lidar com a obsessão da ex-mulher de seu marido, Rachel, que por alguma razão, liga quase todos os dias para sua casa.

Os cursos de suas vidas mudam quando Megan simplesmente desaparece. O que teria acontecido com ela? Será que resolveu fugir de casa? Será que está sendo mantida prisioneira por alguém? Ou pior, será que já estaria morta? Rachel tenta entender o que aconteceu naquela noite, e principalmente, o que viu no dia do desaparecimento de sua personagem fictícia preferida.

“Os buracos na sua vida são permanentes. É preciso crescer ao redor deles, como raízes de árvore ao redor do concreto; você se molda a partir das lacunas.”

Opiniões sobre a Garota no Trem

Na verdade, como em todo suspense e romance policial, o objetivo da autora é simples: te prender até você ter certeza de quem é culpado pelo desaparecimento da personagem. A cada capítulo você se vê julgando uma pessoa diferente… E acaba achando que esse ou aquele foi o responsável pelo o que quer que tenha acontecido naquela noite.

O que torna a leitura triste e as vezes até enfadonha, é que é difícil ter empatia pela personagem principal. É difícil entender a sua depressão e todos os seus erros bobos durante a história. É difícil entender seu alcoolismo e o porquê de ela se achar tão ruim, tão desmerecedora de tudo. Esse sentimento acaba te contaminando um pouco. Faz você pensar muito sobre as pessoas, sobre as dificuldades de cada uma e como nunca podemos julgar o está acontecendo em suas vidas.

E não só Rachel, mas todas as personagens cometem muitos erros. Não existe herói e nem vilão, apenas pessoas comuns que se envolveram no desaparecimento de outra pessoa (até você desvendar todo o mistério, é claro).

Preço e avaliações

A Garota no Trem está na faixa normal, em média de R$30,00 a edição física. Como sempre, Amazon é quem lidera o menor valor, por R$19,90 lá no site deles. Eu indicaria comprar a versão digital por R$19,90, pois a leitura é rápida e a edição não é lá tão bonita.

No Skoob, a avaliação é alta. A média da nota de 16.340 leitores de A Garota no Trem é de 4,1. Preciso dizer que a minha nota pessoal foi de 3, pois eu particularmente não gosto de livros de suspense. Me dá uma agonia profunda essas lacunas propositais na história apenas pelo divertimento de descobrir o culpado 😛

Gostaria de saber a sua opinião sobre esse livro tão popular no ano passado. Já leu? Pretende ler? Se sim, acertou qual seria o desfecho?

  • Zenilda

    Lindo trabalho!!!!!!!!!!!!!!