Destaque - Livro A Maldição do Tigre

5 motivos para não indicar A Maldição do Tigre

Esse ano algumas pessoas me perguntaram se valia a pena a ler o livro A Maldição do Tigre. Eu pensei muito sobre a minha resposta, e decidi que não, eu não ia mentir. Por mais que eu não goste de falar mal de livros, principalmente tão famosos, eu precisava dar a minha opinião sincera. E por isso escrevi os 5 motivos pelas quais eu não indico esse livro tão famoso de Collen Houck.

Eu sou uma leitora assídua e leio diversos temas diferentes. Definitivamente, sou da opinião que não existem livros que não valem a pena ler, principalmente quando falamos de ficções para o público infanto-juvenil. A apreciação de uma história depende exclusivamente da narrativa e do leitor, nesse momento dos dois. Afinal, é nessa época da vida que definimos o nosso amor ou não a leitura.

Porém, tive algumas razões para não conseguir ler a Saga do Tigre. Eu li quase todas as obras da série, mas por pura teimosia – eu não consigo ficar sem terminar uma história.

Detalhes do livro – A Maldição do Tigre

Capa do livro A Maldição do Tigre
Título: A Maldição do Tigre
Autor: Colleen Houck
Série: A Saga do Tigre
Páginas: 344
Editora: Arqueiro
Lançamento: 2011
Prévia Onlinehttps://goo.gl/m8StRN

Sinopse: Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco.

Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço.

Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.

A maldição do tigre é o primeiro volume de uma saga fantástica e épica, que apresenta mitos hindus, lugares exóticos e personagens sedutores. Lançado originalmente como e-book, o livro de estreia de Colleen Houck ficou sete semanas no primeiro lugar da lista de mais vendidos da Amazon, entrando depois na do The New York Times.

 

Agora deixa eu contar um um pouco dos meus problemas com essa saga:

1. O livro é muito mais romance meloso do que aventura

A sinopse nos leva a crer que vamos nos deparar com uma grande aventura “Percyana”, mas com foco na cultura e religião da Índia. Não se engane, esse não é o objetivo d’A Maldição do Tigre. Na verdade, o foco é muito mais no amor entre Kelsey, Ren e Kishan – sim, um triângulo amoroso. Primeira decepção.

2. A base da história é clichê

Temos um triângulo amoroso. Ok até aí. Só que entre irmãos. Corta! Sinceramente, eu já tive a minha dose desse tipo de relacionamento na série The Vampire Diaries. Não consigo aceitar que a personagem principal vai de um irmão para outro como se fosse escolher qual peça de roupa ela vai usar. A autora até tenta fazer que não pareça isso, mas sabemos que é só pra criar um suspense amoroso: Kelsey apenas irá escolher seu parceiro para toda vida no último livro (que é o 4º).

Além disso, os dois príncipes Ren e Kishan são realmente dois príncipes de contos de fadas. Um santo e o outro perigoso. Os dois perfeitos, maravilhosos, deuses, lindos de formas diferentes. Seriam Damon e Stephan encarnados em indianos super ricos?

The Vampire Diaries

3. É um novo livro no estilo de Crepúsculo

Uma personagem principal sem sal, que se acha feia e estranha, e que qualquer menina nova pode se identificar. Acho que eu já li algo parecido antes 😛 Apaixonada por dois caras diferentes – o fácil e o duvidoso – ela tenta ser uma princesinha, colocar os outros em cima da sua vontade, mas na verdade é uma verdadeira menina birrenta e egoísta.

Fora que Kelsey em muitos momentos não vê simplesmente o óbvio, e a autora faz todo um enredo em cima disso. Foi basicamente um livro inteiro de enrolação – e um sério desgaste mental.

4. A cultura indiana não é muito bem explicada

Deusa Durga

Rick Riordan é maravilhoso com suas séries de livros pelo tanto de mitologia grega/romana que nos ensina. Ele me fez querer saber mais, buscar mais informações e realmente entender a história da época. Infelizmente, isso não aconteceu comigo ao ler o de Collen Houck.

Livros são uma boa base para entendermos diferentes culturas, religiões e etnias. Mas, nesse caso, as explicações foram bastante ruins. Houveram vários extremos durante as explicações: às vezes o personagem sabichão fala DEMAIS. Às vezes, explica praticamente nada. E assim fica, por bastante tempo. Imagina quando algo totalmente desnecessário é explicado em páginas inteiras – e a sua vontade é só de pular tudo.

Também estranhei a mistura de referências que não são originais da cultura indiana. Existem monstros e outros animais que nada tem a ver com aquele universo – ou tem e não foi explicado direito, vai saber. Até o 4º livro você já viu dragões, zumbis, faunos, demônios e o que mais você conseguir imaginar.

5. A magia que envolve a trama é muito cômoda e fácil

Ren é um príncipe indiano podre de rico e preso na forma de um tigre. Tranquilo até aí, né? Bom, quando ele se liberta temporariamente da maldição, uma poeira mágica o entorna e o homem aparece de roupas. Tudo bem, é sempre a mesma roupa, mas parece simples demais, não? O mínimo que se espera é que ele tenha alguma dificuldade com sua vestimenta… Entre outras necessidades.

Também os objetos que são obtidos durante a “aventura” são facilitadores DEMAIS. A personagem realmente não passa problemas com comida, vestimenta, equipamento, nada disso. Tudo está sempre à disposição. Porque eles são ricos. E possuem objetos mágicos que facilitam tudo. E essa sou eu tentando ao máximo não dar spoilers 😛

Depois de ler O Nome do Vento, parece que qualquer livro fica um pouco desfalcado nesse quesito…

.Bônus: O nariz do tigre da capa

O nariz desse tigre me incomoda desde a primeira vez que eu viii! Na verdade, o nariz dos felinos são assim:

E não assim:
Nariz do tigre da capa do livro A Maldição do Tigre

 

Brincadeiras a parte – ou não – se você pensa como eu, já sabe: não adianta nem começara ler A Maldição do Tigre. Se você gosta de série e não liga para esses pontos, também não tem problema. Ler nunca é demais <3

Também quero saber a sua opinião sobre o livro. O que achou? Você leria mesmo assim? Se já leu, concorda ou discorda dos pontos levantados?

  • Natália Lima

    Realmente, com esses pontos negativos não da nem vontade de tentar ler o livro. Me passa a impressão de ser forçado demais. Não irei ler o livro!