Personagens animais - Destaque post

9 personagens animais que mais te marcaram nos livros (ou que você deveria conhecer)

Para comemorar o Dia Mundial dos Animais (4 de outubro), eu separei uma lista com 9 personagens animais que marcaram as histórias na literatura e que mudaram muito a nossa experiência literária. Venha conferir e relembre os bichinhos mais nostálgicos e amados dos livros. 🙈

1. A Raposa – O Pequeno Príncipe

A personagem raposa e o Pequeno Príncipe

O encontro do Pequeno Príncipe com a Raposa é, com certeza, o momento mais cativante de toda a história. E acontece quando o personagem principal faz a sua viagem pela galáxia, parando na Terra, antes de retornar para seu planeta natal.

Após se conhecerem, é a raposa que ensina ao menino sobre o que é criar laços e porque algumas pessoas são mais importantes do que outras. Também é ela que fala sobre o adeus e sobre a tristeza, explicando que tudo isso faz parte dos relacionamentos que construímos ao longo da nossa vida.

“Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. (…) Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidades um do outro. Será para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo…”

2. Edwiges – Harry Potter

Edwiges, a coruja carteiro de Harry Potter

Edwiges é a coruja-das-neves que Harry ganhou de presente de Hagrid, no primeiro livro da saga. Sua função inicial era ser apenas o correio pessoal do bruxo, mas ela o acompanha por todos os livros da série e é fiel ao dono em todos os momentos. A sua personalidade é muito protetora, e Harry a vê como uma amiga (apesar das leves bronquinhas que recebia dela).

Uma das cenas mais marcantes do último livro é quando ela fica entre Harry e um feitiço da morte, perdendo a vida em seu lugar. No livro, diferente do filme, ela ainda estava na gaiola. Alguns entendem que esse é o fim da infância do personagem principal, que segue para uma vida adulta e mais cruel.

3. Marley – Marley & Eu

labrador-marley-e-eu

O cachorrinho mais monstruoso de todos os livros, Marley com certeza veio para aterrorizar a vida de seus humanos.

Comprado pelo casal Jonh e Jenny, eles na verdade queriam testar suas habilidade como pais… O que se provou ser uma ótima decisão. O labrador roedor de móveis desde filhote já se mostrou muito mais difícil de lidar do que qualquer bebê.

Durante toda a sua vida, Marley foi um cachorro bastante único. E apesar das encrencas que os donos tiveram que encarar por causa dele, os dois o amavam muito e nunca o abandonaram. Eles permaneceram ao seu lado sempre, cuidando e amando-o até o fim da sua vida.

4. Aslan – As Crônicas de Nárnia

Aslan, personagem de As Crônicas de Nárnia

Aslan, diferente dos outros animais citados antes, não é nenhum bichinho de estimação. O leão, a forma como se materializa, nada mais é do que o deus criador de toda Nárnia. Foi Aslan quem criou os animais – e deu o poder da fala para alguns -, assim como todas as outras criaturas fantásticas do planeta.

Durante todas as guerras de Nárnia, é ele quem intervém pelos justos. O deus ajuda os irmãos e os outros personagens a salvar a terra toda vez que ela se encontra ameaçada. Isso, claro, até o fim daquela dimensão – o que seria uma versão fantástica do Juízo Final.

Aslam também acaba nos ensinando sobre a liderança e o que realmente importa. Na história O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa, quando ele se sacrifica no lugar do irmão Edmundo, ele mostra que seu orgulho é menos importante do que a vida de uma criança que ainda não sabe o que é o certo e errado. Mesmo com sua postura de rei, ele sabia que sua atitude era necessária para combater a feiticeira e enfim salvar Nárnia do inverno.

5. Gato Cheshire – Alice no País das Maravilhas

Gato Cheshire do filme Alice no País das Maravilhas

Outra criatura fantástica e estranha é o Gato de Cheshire. Ele é um dos personagens animais que Alice encontra no meio de sua aventura no País das Maravilhas. De acordo com a duquesa, que parece ser a dona, existem vários gatos de Cheshire. Todos eles podem sorrir – e a maioria até vive sorrindo.

O personagem conversa com Alice de cima de um galho de árvore, depois que ela sai da casa da duquesa. Ele é super famoso por suas habilidades de aparecer e desaparecer (um pedaço de cada vez) e também por suas frases filosóficas, como:

“Todo mundo é louco por aqui”

É Cheshire que faz Alice definir sobre onde ela realmente deseja ir e o que fazer em seguida naquela dimensão bizarra. Através de perguntas capciosas, ele faz Alice realmente pensar sobre sua decisão, ao invés de simplesmente continuar com um objetivo vago de apenas sair daquele lugar.

O mais curioso é que, apesar de ele conversar diretamente com a personagem, parece que na verdade está nos perguntando: mas para onde você quer ir? Porque se você quiser seguir em frente, vai sempre encontrar alguma coisa – mas talvez não o que você procura.

Veja mais: Porque você deveria ler Alice no País das Maravilhas

6. Golfinhos – O Guia do Mochileiro das Galáxias

Golfinhos

De acordo com o guia, os golfinhos só não são os seres vivos mais inteligentes do nosso mundo porque existem os ratos – apesar de isso nunca ter sido realmente explicado.

Antes desses animais brincalhões irem embora da Terra – pois o planeta estava sendo destruído para construírem uma nova via expressa hiperespacial -, eles tentaram, em vão, avisar os humanos sobre os perigos que estavam por vir. Mas, quando perceberam que nunca seriam entendidos, desistiram e nos abandonaram à nossa própria sorte.

Se você já ouviu a expressão “até logo e obrigada pelos peixes”, é justamente sobre essa cena 🙂 Ela também é o título do quarto e último livro da saga.

“os homens sempre se consideraram mais inteligentes que os golfinhos, porque haviam criado tanta coisa, enquanto os golfinhos só sabiam nadar e se divertir. Porém, os golfinhos, por sua vez, sempre se acharam muito mais inteligentes que os homens – exatamente pelos mesmos motivos.”

7. O Lobo Caninos Brancos – Caninos Brancos

Caninos Brancos, do filme da Disney

Se você quando lê ‘Caninos Brancos’ lembra do filme da Disney, esqueça. O livro original é muito mais selvagem e violento.

O meio lobo (que dá nome ao título) nasceu nas terras geladas do Canadá e, por um infeliz humano, foi treinado para enfrentar mortais rinhas de cachorro durante boa parte de sua vida. O nome dele vem por seus dentes serem mais brancos, prova que não é 100% lobo, e mostra a ambiguidade da sua personalidade selvagem e domesticada.

Quando ele é enfim resgatado do ambiente violento que vivia, ele encontra um humano bondoso e paciente, que o ensina a confiar nele e nos outros humanos mais uma vez. No livro, isso não o torna imediatamente em um cachorro bondoso e obediente, mas é o gatilho que traz seu lado domesticado novamente à tona.

Isso nos mostra que o ambiente em que vivemos pode aflorar o nosso pior ou o nosso melhor – e que aprendemos a nos adaptar.

8. Pantalaimon – Fronteiras do Universo

Personagem Pantalaimon - A Bússola de Ouro

Os Daemons são criaturas que refletem a alma de uma pessoa na forma animal. Todos os humanos os possuem e compartilham com eles seus pensamentos, sentimos, dores e até mesmo a morte. Quando crianças, eles podem assumir a forma animal que quiserem, mas quando se tornam adultos, perdem essa capacidade e assumem uma forma permanente.

O Daemon de Lyra, Pantalaimon, tirou ela de muitas encrencas – e também a meteu em algumas – e adorava virar vários bichos diferentes. Ele refletia o espírito curioso e sapeca dela de uma forma maravilhosa! Tanto que sempre se transformava em diversos animais de pequeno porte, que podem se esgueirar com facilidade entre portas e janelas.

Quando enfim Lyra deixa de ser criança, Pantalaimon define a sua forma em uma (spoiler) marta. Não é nenhum animal grandioso, mas é muito curioso e espertinho.

9. As Águias – O Hobbit

As águias de do filme O Hobbit

Bom, são as águias que salvam toda a história de O Hobbit, não é mesmo? Afinal, sem elas a companhia dos anões não teria para onde fugir quando os Goblins e Wargs os atacaram no penhasco. Você consegue imaginar o que teria acontecido? Então.

Tolkien as descreve como “as maiores de todas as aves, pois elas eram orgulhosas e fortes e de coração nobre”. Porém, isso não quer dizer que elas são totalmente benevolentes. Elas praticavam uma maldadezinha aqui e ali, comendo ovelhas e coisas parecidas, e nem sempre fazem tudo que os outros seres pedem. Mas, em relação a justiça, estão sempre de olho no que está acontecendo, observando e reportando as atividades de cima.

“- Boa viagem! – gritaram elas -, por onde quer que viajem antes que seus ninhos os recebam no fim do caminho! – É a coisa mais educada que se deve dizer entre as águias.”

Lembra de outro personagem animal que te marcou? Deixa nos comentários! Vou adorar adicionar na lista e compartilhar mais amor por aí 🙂

  • Fabio Bell

    Sem dúvidas foi a Safira, apesar de que me nego a chamar um Dragão de animal. A forma como ela tratava o Eragon e a forma como ela o via (com admiração) me encantaram. Um Dragão, um ser mítico e poderoso, admirava um humano por ele ser batalhador e não desistir. Fora que ela tinha uma personalidade fantástica, bem humorada e sábia. Ela sem dúvida está no meu top 3. #saudades

    • Safira também foi umas personagem me marcou muito! Mas, por ser um dragão, acabei não colocando nessa lista mesmo.
      Não se esqueça que ela também era super ciumenta hahaha