Mistborn é uma série de livros bem diferente. Ele tem uma daquelas histórias que possui todo um universo particular, com suas próprias lógicas e funcionamentos.

O melhor é que, por mais estranho que esse mundo novo pareça no começo, ele vai te cativando a cada capítulo e explicação.

Se você é o tipo de leitor que vive buscando um livro de fantasia completamente inovador, O livro 1 de Mistborn, O Império Final, com certeza é para você.

Detalhes do livro

O Império Final é o primeiro livro da saga Mistborn, Primeira Era do universo criado por Brandon Sanderson.

No total, o mundo de Nascidos da Bruma terá 4 séries que poderão ser lidas separadamente. Hoje elas estão divididas em Primeira Era e Segunda Era, mas a terceira e a quarta ainda não possuem data de lançamento.

Sinopse de O Império Final

Capa do livro Mistborn O Império Final


Título: O Império Final
Série: Mistborn: Nascidos da Bruma #1
Autor: Brandon Sanderson
Editora: LeYa
Lançamento original: 2014

Sinopse: “Nessa sociedade onde as pessoas são divididas em nobres e skaa – classe social inferior –, Kelsier, um ladrão bastardo, se torna a única pessoa a sobreviver e escapar da prisão brutal do Senhor Soberano, onde ele descobriu ter os poderes alomânticos de um Nascido da Bruma – uma magia misteriosa e proibida. Agora, Kelsier planeja o seu ataque mais ousado: invadir o centro do palácio para descobrir o segredo do poder do Senhor Soberano e destruí-lo. Para ter sucesso, Kel vai depender também da determinação de uma heroína improvável, uma menina de rua que precisa aprender a confiar em novos amigos e dominar seus poderes.”

O que achei de O Império Final

O Mistborn livro 1, o Império Final, tem um pouco de tudo: fantasia, distopia, medievalismo, romance, intrigas políticas e, principalmente, tentativas de heroísmo.

Vou te contar um pouco de cada parte positiva desse livro, como todo o universo montado por Sanderson, seus personagens e a história que se passa lá.

O mundo de Mistborn

Cidade de Luthadel. Livro Mistborn, O Império Final
A Cidade de Luthadel, por SurugaMonkey

A concepção do mundo, apesar de muito complexa e cheia de detalhes importantes no começo, é muito bem feita e descrita.

Temos um mundo pós-apocalíptico onde tudo que se vê são cinzas e brumas densas. Temos nobres, escravos e um ministério de aço com homens que tiveram seus corpos modificados exclusivamente para matar qualquer um que agir fora do que é estabelecido para sua raça.

A magia que temos nesse livro é a queima, através da ingestão, de alguns metais que dão habilidades especiais para o utilizador.

Existem algumas pessoas que podem usar apenas um tipo de metal, os brumosos, e outras que  conseguem usar todos, os conhecidos como “Nascidos da Bruma”. Estas são pessoas extremamente raras e só existem, teoricamente, nas famílias nobres mais próximas do Senhor Soberano, o deus que rege o reino.

No começo da leitura do Mistborn essa é uma parte um pouco difícil de entender, por isso recomendo a leitura do glossário para tirar as dúvidas. São muitas definições e lógicas diferentes que, se não lidas com atenção, podem tornar a leitura difícil mais pra frente.

Porém, por mais complexo que seja, Brandon Sanderson realmente fez um ótimo trabalho em imaginar como seriam as lutas e as táticas possíveis com a “magia” (o uso de metais) que compõem a trama. Você realmente visualiza os efeitos da luta, de uma forma que não dá vontade de largar o livro nas horas de ação.

Fora isso, toda a sociedade também é muito bem construída. O Senhor Soberano possui uma história muito boa, e os membros da alta sociedade também são muito bem elaborados.

Os personagens da trilogia

Ilustração de Vin e Kelsier, de Mistoborn - O Império Final
Vin e Kelsier, por DjamilaKnopf

Mesmo sendo uma fantasia inovadora, arrisco dizer que são os personagens que mais chamam atenção em Mistborn.

Uma das personagens principais, Vin, é uma menina retraída, desconfiada e infeliz. Ela passou a vida toda sendo mal tratada, tanto pela mãe quanto pelo irmão.

Criada como ladra, abandonada pela família, a única coisa que fez Vin sobreviver foi a capacidade de dar “sorte” para as negociações da gangue que ela participava. Fraca, Vin não conseguia se defender, só fugir e se esconder – aliás, coisas que ela sabia fazer muito bem.

Porém, ao aprender mais sobre seus poderes, Vin foi ficando cada vez mais segura de si e das suas capacidades, dependendo menos das pessoas e, principalmente, confiando mais nos outros.

– É uma garota muito direta, Vin.
– Eu sei.

Já Kelsier, o nosso anti-herói, é extremamente carismático. Em um lugar que ninguém ri, é ele que vive sorrindo, mesmo que já tenha passado pelas coisas mais terríveis possíveis. Ele é determinado, teimoso, ganancioso e muito, muito arrogante.

Mas tudo isso faz ele ser um personagem cativante e real, com todas as suas qualidade e defeitos.

Sazed, um personagem que é apresentado mais para frente do livro, também não perde em nada. Ele tem todo um mistério ao seu redor, apesar de passar apenas por um mordomo muito eficaz. Mas, não se engane, ele é extremamente importante para essa história.

A trama do primeiro livro de Mistborn

O Império Final conta sobre um foragido chamado Kelsier, aparentemente muito poderoso, que busca matar o Senhor Soberano, um deus imortal que governa o país por muitas gerações.

Porém ninguém sabe a verdadeira história desse deus, nem se ele é realmente imortal ou não. Todos apenas tem conhecimento do seu poder extremo e seu controle por toda a cidade.

A classe escrava, os skaas, em sua maioria já está resignada e já cansou de lutar para mudar seu destino. A pequena resistência criada por eles, em todos esses anos, nunca teve nenhum sucesso e ninguém acredita que é possível ir contra o Senhor Soberano.

Por isso a tentativa de revolução de Kelsier e sua gangue parece, primeiramente, maluca e sem sentido. A cada novo plano para descobrir os segredos do Senhor Soberano só deixa todos sem esperanças e com mais dúvidas, inclusive sobre a própria sanidade mental de Kelsier.

– Sabe, às vezes me surpreende que ainda tentemos. (…) Mas não desistimos. Os skaa ainda se apaixonam. Ainda tentam ter suas famílias, e ainda lutam. Quero dizer, aqui estamos… lutando a guerrinha insana de Kell, resistindo a um deus que sabemos que vai massacrar todos nós.”

E a cada capítulo a gente vai entendendo mais e se impressionando com as reviravoltas. Principalmente até entender o que são os pequenos trechos apresentados em cada começo de capítulo – mas eu acho importante não explicar o que são, pois esse suspense também faz parte do Império Final.

A única dica é que os trechos lembram o que feito feita no livro Duna também. 😉


O primeiro livro de Mistborn tem muita história e é extremamente cativante. É o tipo de livro que demora para pegar, mas com o passar das páginas o ritmo vai melhorando e se tornando mais incrível. Com certeza eu recomendo O Império Final para todos os que amam fantasias medievais.

Se você já leu, saiba mais na Resenha de O Poço da Ascensão, o livro 2 de Mistborn.

E você, vai ler? Conta pra gente o que achou do livro nos comentários 🙂

2 comentários

    • Ana Steinbach Responder

      Obrigada, Paulo! Espero que goste da continuação também. Foi uma leitura muito boa 😄

Deixe um comentário