Eragon é um livro clássico de fantasia medieval com elfos, anões e, claro, dragões.

A história começa quando Eragon encontra uma pedra azul dentro da floresta, sem saber que se tratava, na verdade, de um ovo de dragão. Quando Saphira – um dos últimos da sua espécie – nasce, os dois criam um laço único. Um laço que só existe entre um dragão e seu cavaleiro.

Apesar do livro gerar opiniões divergentes, o que posso dizer é que para quem curte uma narrativa detalhada e com um ritmo equilibrado, Eragon com certeza é um ótimo livro para adicionar na estante. 

Ainda mais se você ama o universo de fantasia medieval daquelas bem clássicas. 

Vale a pena ressaltar que esta é uma resenha de quem ama o Ciclo da Herança, mas que entende que ela tem seus defeitos. Depois de reler o livro em idades muito diferentes, tenho alguns pontos de vista para te dizer porque você deveria dar uma chance para esse livro, se ainda não deu.

E, ah, esqueça tudo que você viu naquele horrível filme lançado em 2006. E o jogo também.

Sinopse de Eragon

Capa do livro Eragon

Autor: Christopher Paolini
Saga: Ciclo A Herança
Compre na Amazon

Sinopse: “O vento uiva pela noite trazendo consigo um aroma capaz de mudar o mundo. Quando Eragon encontra na floresta uma pedra azul polida, acredita que poderá ser uma descoberta de sorte para um simples rapaz do campo: talvez sirva para comprar carne que alimentará a família durante o inverno. 

Mas, no momento em que um dragão nasce de dentro da pedra, Eragon percebe que está diante de um legado quase tão antigo quanto o do próprio Império. Da noite para o dia, de uma vida pacata, ele é lançado para um arriscado novo mundo movido pelas tramas do destino, da magia e do poder.”

Os personagens e seus diálogos são muito bem elaborados

Um dos grandes pontos positivos de Eragon são seus personagens e diálogos.

Saphira, o dragão, é uma personagem maravilhosa e que ganha todo destaque. Ela é toda orgulho e pose, além de ser super protetora com Eragon. Por mais que ela tenha só uns meses fora do ovo (porém muitos dentro dele), Saphira é muito ponderada, dando conselhos para Eragon na medida que pode.

Já Eragon, o protagonista, é um simples fazendeiro e um típico herói em sua jornada. Por ser extremamente curioso, ele age sem pensar e até interrompe as pessoas. Ele também é um pouco tímido e inocente de certa forma. Até quando ele acha que tem algum poder por ser um cavaleiro, logo já percebe sua inexperiência e sua falta de conhecimento de forma geral.

Além de tudo, Eragon é um adolescente de 15 anos que está aprendendo na marra que toda ação tem uma reação.

E quanta reação ele vai ter que passar para entender isso, hein?

A verdadeira coragem é viver e sofrer por aquilo em que você acredita.

Brom

Além da dupla temos outros personagens importantes, como a bruxa Ângela, que foi inspirada na irmã de Christopher Paolini, e Solembum, um misterioso menino-gato. 

E tem também, claro, a Arya – a elfa com traços felinos e selvagens. Nesse volume ela só aparece muito no final, então o que sabemos por enquanto é que ela é poderosa, muito mais poderosa do que qualquer humano poderia sonhar ser.

Uma temática que desperta curiosidade

Ilustração de Saphira e Eragon por AndreevaPolina
Ilustração de Saphira e Eragon por AndreevaPolina

O que eu sempre achei muito divertido imaginar, e o que de fato mais me cativa nessa história, é o elo único que o dragão tem com seu cavaleiro.

O dragão é quem escolhe o cavaleiro e, depois que o dragão nasce, os dois são conectados pela alma e pelo pensamento.

É um vínculo tão intenso que a morte de um devastaria o outro. Eles sentem as emoções e dores de cada um, chegando ao ponto de ser impossível separá-los.

Narrativa com um ritmo na medida certa

A narrativa de Eragon não é lenta demais, com viagens de capítulos infinitos e descrições maiores ainda, e nem rápida demais a ponto de pular construções importantes dos personagens.

É um bom equilíbrio, o suficiente para te fazer continuar lendo e apreciando cada momento da história com calma.

Para quem está acostumado com livros mais rápidos e intensos, imagino que acabará achando maçante. Mas se eu for colocar em uma escala entre livros de fantasia – vamos dizer entre O Senhor dos Anéis e O Nome do Vento – Eragon fica ali no meio.

Universo com referências de O Senhor dos Anéis

Mapa de Alagaësia

Não é nenhuma novidade que o livro é bastante inspirado nos mundos de RPG e na terra-média, de Tolkien. O mundo de Eragon também tem quase as mesmas raças e apenas alguns seres mágicos que são específicos deste universo (como o menino-gato).

Não é nenhuma novidade esse tipo de inspiração no mundo dos livros de fantasia, então eu particularmente não vejo nenhum lado negativo. Em até em algum ponto da história, alguém comenta que havia uma época que os dragões roubavam o ouro dos anões: uma clara referência ao mundo de Tolkien.

Outro ponto é que cada raça possui uma língua própria, o que deixa a história muito mais rica. Cada povo tem seus costumes e expressões específicas que você só entende se ler o dicionário no final do livro.

Entre as raças, a língua dos elfos é que é utilizada para lançar magia. Nesta idioma é impossível mentir, e saber os nomes reais dos elementos te dá grandes poderes sobre os objetos – ou até poder absoluto sobre alguém. 

Sim, às vezes as descrições são longas demais

Talvez por se inspirar em Tolkien, Christopher muitas vezes se perde em descrições longas demais. Isso acontece com mais frequência nos livros seguintes do que neste volume, mas mesmo assim é um pouco repetitivo.

Nessa etapa da vida eu não me culpo em pular uma ou outra linha, mas as descrições em geral tem um motivo. Se um objeto está sendo descrito, é porque ele tem importância para a cena de alguma maneira.

Por ser um universo muito vasto, às vezes também me parece que os personagens estão dando uma aula de cada acontecimento de Alagaësia. As cenas acabam ficando monótonas, já que a linguagem do diálogo não é natural.

Eragon não sabe praticamente nada de nada e “precisa” perguntar tudo – assim como você, leitor. O que é um jeito bem clichê de explicar um mundo de fantasia.

“Parece que suas perguntas nunca acabam”

Brom, sobre Eragon

Creio que algumas coisas desse livro se dão porque Christopher tinha apenas 15 anos quando escreveu essa história. Para mim ainda é um feito bastante impressionante e me faz relevar alguns pontos na narrativa.

Leia você também

Eragon é uma leitura gostosa para quem quer curtir uma aventura com guerras, raças, mistérios e magias. É uma fantasia relativamente fácil de ler, e recomendo principalmente para quem está começando na literatura fantástica.

Meu maior ponto positivo é o laço entre Eragon e Saphira, uma relação entre dragão e cavaleiro que é impossível de ser substituída. Todo o universo também é muito bem construído, e a Ângela rouba muitas cenas (nesse e nos livros seguintes).

A Ana de 16 anos atrás continua feliz de poder ter achado esse livro, por acaso, em um supermercado. E só ter comprado porque tinha um dragão azul na capa.

Espero que você curta esse universo de fantasia também.

Minha avaliação: ⭐⭐⭐⭐⭐

E se você já leu e quer saber mais (ou só comentar aqui junto comigo) sobre a continuação, não deixe de ler a minha resenha sobre Eldest, o segundo volume da saga.

5 comentários

  1. Ah Eragon, não tenho palavras pra descrever o que foi esse livro pra mim. Li a saga duas vezes e em fases distintas da vida e cara, a experiência foi única nas duas vezes.
    Quando li na sua resenha a ligação cavaleiro/dragão e o efeito devastador se um dos dois morre, me lembrei do livro e de um momento…
    Me arrepiei aqui…

    Enfim, resenha muito boa, o livro é bem isso, detalhes e mais detalhes, as vezes até maçantes mas lá na frente faz sentido do porque de tantos detalhes.

    É um livro que com certeza recomendo pra todo e qualquer um que queira conhecer o gênero de fantasia/medieval.

    Ah!! Anos atrás ganhei os livros do Eragon e eles estão na minha estante esperando meu filho crescer para que ele conheça esse universo único e fantástico criado por um adolescente, haha.

    • Um livro marcante desse realmente merece todo carinho <3

      Tenho certeza que seu filho vai adorar um dia!
      Espero que até lá o blog possa acompanhar esses pequenos leitores 🙂

Deixe um comentário