O Nome do Vento com certeza foi um dos melhores livros de fantasia medieval que eu já li. O personagem principal tem muita personalidade. A narrativa é extremamente bem contada. E a história te faz sorrir e chorar com o personagem.

Nesta resenha de O Nome do Vento, eu vou te contar porque você também deveria ler esse livro. Além, claro, de dar mais detalhes sobre o livro 1 de Patrick Rothfuss.

Sobre a série A Crônica do Matador do Rei

O livro O Nome do Vento é a primeira parte da trilogia “A Crônica do Matador do Rei”, que também conta com uma spin-off chamado A Música do Silêncio.

O segundo livro, O Temor do Sábio, já foi lançado, mas o terceiro livro continua sem data prevista. Apenas seu nome original, The Doors of Stone (As Portas de Pedra, em tradução livre) foi confirmado.

Veja mais: Tudo que sabemos sobre o livro 3 de A Crônica do Matador do Rei, As Portas de Pedra

Detalhes do Livro

Capa do livro O Nome do Vento

Título: O Nome do Vento
Autor: Patrick Rothfuss
Série: A Crônica do Matador do Rei
Páginas: 662
Título Original: The Name Of The Wind

Sinopse: Ninguém sabe ao certo quem é o herói ou o vilão desse fascinante universo criado por Patrick Rothfuss. Na realidade, essas duas figuras se concentram em Kote, um homem enigmático que se esconde sob a identidade de proprietário da hospedaria Marco do Percurso.

Da infância numa trupe de artistas itinerantes, passando pelos anos vividos numa cidade hostil e pelo esforço para ingressar na escola de magia, O nome do vento acompanha a trajetória de Kote e as duas forças que movem sua vida: o desejo de aprender o mistério por trás da arte de nomear as coisas e a necessidade de reunir informações sobre o Chandriano – os lendários demônios que assassinaram sua família no passado.

Quando esses seres do mal reaparecem na cidade, um cronista suspeita de que o misterioso Kote seja o personagem principal de diversas histórias que rondam a região e decide aproximar-se dele para descobrir a verdade.

Resenha de O Nome do Vento: 4 pontos principais do que eu achei sobre o livro

Foto do livro O Nome do Vento

O livro é simplesmente fantástico! Esses são os meus pontos mais importantes que você precisa saber antes de começar a ler o livro:

1. Não julgue o livro pelas primeiras 100 páginas

Antes de mais nada eu gostaria de dizer para você não julgar a beleza de O Nome do Vento pelo começo. Ele pode ser bastante maçante durantes as primeiras páginas, na taverna.

A lentidão da narrativa muda completamente quando o personagem principal começa a contar sobre seu passado. E aí a coisa engrena de forma muito mais rápida.

2. O personagem principal não é o que você espera que ele seja

Kvothe não é um personagem recatado, gentil e respeitoso como um cavaleiro geralmente é. Ele é inteligente, e sabe disso, mas é extremamente orgulhoso e vingativo – o que sempre acaba em grandes tormentos para ele.

Quando você enfim acha que o nosso herói está salvo, ele acaba se encrencando ainda mais, e tudo isso pelas suas próprias atitudes. Com um pouquinho de azar e sorte juntos.

Ilustração de O Nome do Vento

Também é pela sua audacidade que ele chega onde chega, então tudo que acontece com ele é devido a sua própria personalidade e história de vida. São esses altos e baixos que te deixam sempre querendo ler mais e mais, e talvez até te tirem o sono por conta da improbabilidade do que vem a seguir.

Meu nome é Kvothe, com pronúncia semelhante à de ‘Kuouth’. Os nomes são importantes, porque dizem muito sobre as pessoas. Já tive mais nomes do que alguém tem o direito de possuir.”

3. O Nome do Vento é uma fantasia medieval focada na sagacidade, e não no poder físico e guerras

O Nome do Vento é com certeza um livro muito mais adequado para aqueles que gostam de grandes narrativas e não sentem falta de lutas de espadas.

Todo o mundo criado pelo escritor Rothfuss é baseado no conhecimento e no poder da magia, e não na força bruta que geralmente vemos em outros livros medievais, como A Canção do Sangue.

E de fato o que mais encanta nesse universo é a forma que a lógica da magia é encarada e a sua natureza. A magia aqui tem seu próprio sentido e é muito mais palpável do que normalmente é abordado em outros livros da mesma categoria.

Podemos dizer que o autor pensou muito sobre todos esses detalhes antes de escrever seu “O Livro”. E isso que o torna tão especial – e provavelmente por isso também que está demorando tanto para sair o livro 3 de A Crônica do Matador do Rei.

4. Se prepare para cenas profundas e inesperadas

Ilustração de O Nome do Vento
Cena memorável ilustrada por Marc Simonetti

Tem cenas em O Nome do Vento que me marcaram. E não sou só eu que falo sobre isso:

Assim como Tolkien, O Nome do Vento é carregado de poesia, mas um pouco mais sentimental, acredito.

As cenas que me fizeram apaixonar-me pela obra foram aquela de quando Kvothe, após muito tempo, volta a tocar o alaúde em sua primeira interação com a Denna… a cena, a descrição dela, é tão linda… Difícil não se apaixonar nesse momento.”

Robson F., leitor de fantasia e fã de O Nome do Vento

Mas é apenas lendo que você vai realmente entender porque ele é tão amado. Super recomendo a leitura e minha nota é 5 de 5 estrelas.

Edição de aniversário de 10 anos de O Nome do Vento

Em 2017 saiu uma edição comemorativa com nova capa e ilustrações do livro. Me apaixonei pelas ilustrações (e não pela capa, que prefiro a atual), pois são muito ricas em detalhes:

Fora as 20 novas ilustrações, a edição tem dois mapas inéditos muito mais detalhados que os atuais. Aliás, o livro tem muito mais detalhes sobre esse universo em geral.

E em 2021 a editora arqueiro resolveu trazer essa edição para o Brasil. Você pode comprá-la na Amazon:

Quem é o escritor Patrick Rothfuss?

Autor Patrick Rothfuss

Nascido nos Estados Unidos, Patrick Rothfuss passou muitos anos de faculdade em faculdade sem saber exatamente o que queria. Durante todo esse momento de indecisão na sua vida, Rothfuss continuou trabalhando no projeto que ele chamava de “O Livro”.

Em 2002, ele tentou publicar sua obra, mas sem sucesso. Em busca de mais visibilidade, ele publicou um capítulo do seu “O Livro” em uma competição chamada Writers of The Future, com o nome “The Road to Levenshir”. Foi esse prêmio que o deixou, finalmente, em contato com as pessoas certas.

Em 2007, provando seu sucesso, ele dividiu o livro em 3 partes e lançou o primeiro com o nome original The Name of the Wind. Logo em seguida também ganhou o Quill Award e chegou na lista de best-sellers do New York Times.

Curiosidade: Patrick é um grande fã das obras de Neil Gaiman. Mesmo quando os dois escritores se encontrando profissionalmente, ele diz que ainda não consegue agir naturalmente por causa dessa grande admiração que tem por ele.

Curiosidades

Os direitos autorais da séria A Crônica do Matador do Rei foram comprados pela Lionsgate alguns anos atrás, prometendo diversas adaptações do universo de O Nome do Vento.

Eles até anunciaram um filme do primeiro livro e uma série televisiva que abrange o restante do universo. Tanto um quanto no outro, Rothfuss era o produtor executivo, o que garantiria a consistência das adaptações.

Sobre novas possíveis decepções, Patrick responde (em tradução livre):

Mas me ouça quando eu digo isso: Você não ama mais esses livros do que eu. Você não se importa mais com eles do que eu. Eu coloquei 20 anos da minha vida neles. Eles estão lado a lado com meu coração. Eles são minha alma tangível.”

Patrick Rothfuss

Porém, depois da febre de Game of Thrones, e também pelos problemas que ocorreram por lançarem uma série televisa sem o último livro escrito, a produção parou completamente. Agora não há nenhum indicativo que o universo será adaptado para qualquer outra mídia por um tempo.

14 comentários

  1. E aqui estamos no inicio de 2019 ainda esperando o lançamento do 3 livro, ou se quer uma previsão, mas vamos nos conter por apensas criar algumas teorias de como será o final do livro. Também acho que terá outro livro além do terceiro para poder dar um desfecho digno na historia de nosso Kvothe. Apesar de achar que não irá muito longe, já que o Kote ( hospedeiro) deixou meio implícito que não houve sucesso em sua “vingança” contra os sete.

    • Pois é, é o que nos resta mesmo. Mas pelo que o próprio Patrick Rothfuss, a história de Kvothe vai terminar no terceiro livro, sim. O que pode acontecer é o autor criar outras histórias paralelas com outros personagens da saga.

  2. Eduardo Martins Romeiro Responder

    está entre meus livros e autores preferidos!!
    esperando ansiosamente pelo 3º livro desde 2015

    • Vai demorar para sair o 3º livro, infelizmente.
      Eu gosto muito também de Eragon, apesar de dificilmente eleger algum livro como favorito. Já leu? 🙂

      • Eduardo Martins Romeiro Responder

        se eu li Eragon? kkkk é um dos meus favoritos!! só estou esperando chegar no meu 100º livro lido para reler o ciclo da Herança <3 <3
        meu top 5 favoritos q ja li:
        As cronicas do Gelo e Fogo
        Ciclo da Herança
        As cronicas do matador do rei
        Trilogia dos Espinhos
        A Sombra do vento

        Senhor dos Anéis e Harry Potter não terminei todos os livros, apenas os filmes, então não contam apesar q gosto pra caralho deles kkkk

        • Poxaa, Eduardo! A Herança é muito legal! Comprei assim que saiu (claro, tendo que reler todos os livros da saga).

          Vou colocar a trilogia dos espinhos para ler logo também. Gostei da sinopse! Claro que HP e Senhor dos Anéis a gente nem precisa comentar, porque já estão nos nossos corações 💙

          Se quiser algum post de algum livro específico por aqui, só deixar nos comentário, tá? Vou ficar bem feliz em criar um conteúdo especial 🙂

  3. meu deus… foi eu quem escreveu isso???
    tá igualzinho o que eu penso e escreveria sobre esse livro.
    tem mais um spin off da serie do matador do rei numa coletania de contos, que o patrick fez parte, mas não consegui obter ainda pq não achei quem vendesse no brasil.
    parabéns ana muito bem escrito.

    é apenas eu que penso que não será uma trilogia? apesar de que o patrick falou que seria. em alguns momentos no temor do sábio você vê algumas mudanças e ao meu ver não parece que ele conseguirá contar o resto todo da história em apenas mais 1 livro, ainda penso que serão 4 (3 para a história e mais 1 para conclusão da vida de kvothe)

    to alucinado

    Maria Fernanda devolve meu livro, quero ler de novo!!!!!!!!!!!!!!

    PS: a coletania é do george rr martin e se chama o principe de westeros e outras historias

    • Oi, Diego!

      Não tem como pensar diferente com esse livro hihihi

      Sobre a coletânea O Príncipe de Westeros, eu achei para vender em várias livrarias, como a saraiva. Obrigada por compartilhar mais esse conto de Patrick <3

      Eu acho que vai ser uma trilogia, sim (talvez o livro tenha umas mil páginas, se for aumentar como no segundo hahaha). Provavelmente ele não vai parar apenas com a história do Kvothe, já que tem muito pra contar ainda, né?

      Vamos todos torcer que o terceiro saia logo... E Maria Fernanda, devolve o livro dele!!

Deixe um comentário